domingo, fevereiro 24, 2013

Devocional: Jô 28.28


 E disse ao homem: Eis que o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência.  
Jô 28.28

Até aonde vai a sabedoria do homem? 

Será que existe limites para as suas invenções? 

Deus foi tão atencioso ao criar o homem, o salmista admirando sua criação lhe fez a seguinte pergunta;  

SENHOR, que é o homem, para que o conheças, e o filho do homem, para que o estimes? 

Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? 

Diante desta indagação, podemos compreender que o próprio homem tem admiração por si mesmo. O homem tem poder para criar e execultar muitos projetos. Santo Dumont desejou um dia pode Voar e criou o avião. O alemão Karl Benz queria para de andar a pé ou a cavalos e criou o automóvel, o primeiro com três rodas. 
Parece não haver limites para nossas invenções, os homens são pequenos em estatura, mas grandes são as suas criações

O texto extraído do livro de Jô, revela uma grande verdade que à sabedoria do homem, precisa está no temor do Senhor e sua inteligência em aparta-se do mal. Uma coisa o homem porem não pode fazer, utilizar seu dinheiro e sua inteligência para salvar a sua alma, aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas, Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele. Jesus pagou um grande preço pelo homem (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre).
Infelizmente as pessoas rejeitam tal sacrifício, e esquecem de temer ao Senhor.Ha vida de tais pessoas, se resume nestas palavras; Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará. O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem.  

Oração; 

Deus eterno, tu és poderoso criador e sustentador de todas as coisas. Ensina-me a lhe amar Senhor acima de todas as coisas, SENHOR, Santifica-me na tua verdade, guie os meus passos. Assim temerei todos os dias e louvarei ao Deus da minha salvação. 


J. Herculano

Nenhum comentário:

Postar um comentário