sexta-feira, julho 29, 2016

Hillary Clinton: Os Estados Unidos deveriam “demonstrar empatia” e “respeito” por seus inimigos

Hillary Clinton, prevista para concorrer para presidente dos EUA em 2016, está sendo criticada depois de dizer que os EUA...
Hillary Clinton, prevista para concorrer para presidente dos EUA em 2016, está sendo criticada depois de dizer que os EUA deveriam “demonstrar empatia” e “respeito” por seus inimigos.


O discurso dela, focado na promoção de líderes feministas, foi dado na Universidade Georgetown em Washington D.C., em 3 de dezembro de 2014.

A estratégia feminista dela é que os EUA usem “todas as ferramentas e parceiros possíveis” para avançar a ‘paz.’ Ela explicou que essa estratégia significa “mostrar respeito, até pelos próprios inimigos; tentar compreender e, até onde seja psicologicamente possível, demonstrar empatia pela perspectiva e ponto-de-vista deles.”

Como é que temos de entender o discurso dela? Quem são esses inimigos dos Estados Unidos?

Ficamos com pelo menos três possibilidades:
1.  Muçulmanos. Os muçulmanos, principalmente da Arábia Saudita, estão por trás do ataque terrorista aos EUA em 11 de setembro de 2001. Mas se Hillary quer que os EUA demonstrem empatia pelos seguidores de Maomé, ela chegou muito tarde. George W. Bush foi pioneiro em chamar, logo após o ataque terrorista a Nova Iorque, o islamismo de “religião da paz.” Então, desde Bush, ficamos com uma impressão de que o islamismo não é inimigo dos EUA. Se esse for o caso, Hillary não está se referindo aos muçulmanos, que têm sido tratados com extrema empatia pelo governo dos EUA. O caso de amor dos EUA com a Arábia Saudita é lendário. Nessa perspectiva, os muçulmanos não são os inimigos dos EUA.

2.     Cristãos conservadores. Isso mesmo. De acordo com a revista Whistleblower, os inimigos dos Estados Unidos não são os muçulmanos envolvidos em guerra santa, mas os conservadores e os cristãos. O governo de Obama tem rotulado o trabalho pró-vida e pró-família como terrorismo. Aliás, sob a ex-ministra Hillary Clinton, o Departamento de Estado dos EUA colocou direitos homossexuais como prioridade máxima, e agora esse departamento não só está patrocinando o ativismo homossexual no mundo inteiro, mas também está se dedicando a se opor aos cristãos pró-família engajados contra a agenda gay. Então obviamente esses cristãos são, para Hillary e Obama, os inimigos dos EUA. Será que agora, num ato máximo de ‘misericórdia,’ Hillary quer que o governo dos EUA “demonstre empatia” e “respeito” por esses cristãos?

3.     Progressistas. Assim o pedido dela é em causa própria. Os inimigos reais dos Estados Unidos são indivíduos e instituições que querem desfigurá-los de seu propósito original. Os fundadores dos EUA eram majoritariamente cristãos evangélicos e a intenção deles era estabelecer uma nação especialmente para cristãos. Hillary e seu marido, o ex-presidente americano Bill, se opõem a essa forma original. Obama também. E ao declarar que o islamismo é uma “religião de paz,” até Bush se opôs à intenção dos fundadores dos EUA. Então, basicamente, Hillary Clinton quis dizer: “Quero que os EUA ‘demonstrem empatia’ e ‘respeito’ por mim, meu marido, Obama, Bush e outros presidentes americanos por todo ato pró-islamismo que nos colocou no mesmo nível dos inimigos dos EUA.”

Certamente, o governo de Obama, o governo de Clinton e, lamentavelmente, até o governo de Bush “demonstrariam empatia” e “respeito” por si mesmos. Incluí Bush porque recentemente ele chamou Bill Clinton de seu ‘irmão.’ Ora, se eu chamasse Clinton ou Obama de ‘irmão,’ eu deveria ser considerado inimigo dos EUA.

Além disso, quando Bush chamou o islamismo de “religião de paz,” ele mentiu para os EUA e para o mundo. Hillary e Obama concordaram e até promoveram essa mentira. Isso tem sido propaganda enganosa para os EUA e para o mundo, principalmente porque o islamismo é, de longe, a maior fontede perseguição e martírio para os cristãos do mundo inteiro.

Hillary e Obama são protestantes progressistas (socialistas). Assim, eles são pró-aborto e pró-sodomia. Em contraste, Bush é um evangélico conservador geralmente pró-vida e antissodomia. Mas todos eles são proclamadores do islamismo como “religião de paz.” Nesse aspecto, todos eles têm sido mentirosos, para o prejuízo de muitos milhares de cristãos, cujo sangue tem sido derramado por carniceiros islâmicos todos os anos.
Será que os EUA deveriam ser amigos do islamismo? Será que os EUA deveriam ser os principais proclamadores dessa religião por meio de enganações e uma parceria sórdida com a Turquia e a Arábia Saudita? A proclamação do islamismo como uma “religião de paz” não é covardia e cumplicidade em seus muitos crimes, genocídios e matanças de inocentes?

Então é de estranhar que, de acordo com o Dr. Raymond Ibrahim, autor do livro “Crucified Again: Exposing Islam’s New War on Christians” (Crucificados de Novo: Desmascarando a Nova Guerra do Islamismo contra os Cristãos), é fato confirmado que os EUA se tornaram os principais facilitadores da perseguição aos cristãos?

Minha pergunta ao povo americano é: Será que vocês deveriam “demonstrar empatia” e “respeito” por Hillary, Obama, Bush e outros compatriotas americanos enquanto eles “demonstram empatia” e “respeito” pelo islamismo e ajudaram os EUA a se tornarem tais facilitadores?


Com informações do Daily Mail e Weekly Standard.
Fonte:https://artigos.gospelprime.com.br/hillary-clinton-estados-unidos-demonstrar-empatia-respeito-inimigos/ Acesse em 29 de Julho de 2016.

O que significa circuncisão?

circuncisão foi instituída por Deus nos tempos de Abraão. Era feita em uma cerimônia onde era cortada a pele que cobre a cabeça do órgão genital masculino, também chamada de prepúcio. Algo bem parecido com a cirurgia de fimose realizada em nossos tempos (veja a foto abaixo de como é a cirurgia de circuncisão). Era realizada nos meninos ao oitavo dia de vida: “O que tem oito dias será circuncidado entre vós, todo macho nas vossas gerações…” (Gn 17.12)


Qual era o significado da circuncisão?

Seu significado era bem mais profundo do que simplesmente um corte visível feito na carne. A circuncisão mostrava que aquela criança fazia parte da aliança de Deus feita com o povo de Israel. É claro que não era apenas o corte na carne que fazia com que a criança, e mais tarde o adulto, fosse alguém que andava na presença de Deus. 
Era necessária obediência às leis do Senhor para que, efetivamente, a circuncisão tivesse realmente valor (Romanos 2:25).
 circuncisão, como era feita
Etapas da circuncisão cirúrgica
A circuncisão também era realizada nos escravos que não tinham o sangue Israelita, mas que faziam parte do povo. “todo macho nas vossas gerações, tanto o escravo nascido em casa como o comprado a qualquer estrangeiro, que não for da tua estirpe. Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; a minha aliança estará na vossa carne e será aliança perpétua.” (Gn 17. 12-13)

No Novo Testamento, a palavra circuncisão também era usada para apontar para aqueles que eram Israelitas (Atos 10:45). O termo, porém, ganha um significado mais profundo nas cartas de Paulo, onde ele introduz o conceito de “circuncisão do coração”, que significa uma conversão genuína, baseada na fé e na obediência a Jesus Cristo. Deus não requer mais de nós um sinal feito na carne, mas sim um sinal feito no nosso coração.
“Pelo contrário, o verdadeiro judeu é aquele que é judeu por dentro, aquele que tem o coração circuncidado; e isso é uma coisa que o Espírito de Deus faz e que a lei escrita não pode fazer…” (Rm 2. 29 – NTLH)

Por que hoje em dia as igrejas não fazem mais a circuncisão?

A circuncisão não é mais feita hoje em dia, pois esse sinal da aliança de Deus foi mudado por Jesus. Jesus instituiu o batismo em lugar da circuncisão. Era esse sinal que deveria ser feito nos discípulos a partir da morte de Jesus, na nova aliança: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28:19).


quinta-feira, julho 28, 2016

Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor. (Provérbios Cap. 25:4)



A sabedoria contida no livro de provérbios escrito por Salomão é tão significante hoje quanto era na época em que o livro foi escrito, por volta do ano de 950 A.C. No entanto, não é um panfleto sobre a prosperidade nem um guia de “como ter sucesso” no sentido mundano, fato que está em alta na atualidade. O livro mostra como ordenar os valores de alguém, o que conduz ao caráter, que conduz a integridade, que conduz a santificação. 

      Uma vez que esse livro de trinta e um capítulos contém tantas expressões que são valiosas para ser meditada diariamente, por isso seu conteúdo é relevante para todas as épocas.
      Jesus Cristo confirma a veracidade do livro de provérbios no evangelho de Lucas 11.31. Existiram ecos desse livro nas mensagens de Jesus.

No capitulo 25 e verso 4 que encontramos 4 elementos a serem analisados:

1. A prata
2. A escória
3. O vaso
4. O Fundidor

1°- A prata: Tão importante e caro quanto o ouro. Entre os utensílios do templo tinham alguns que eram de prata. Símbolo da redenção.

Prata somos nós “ainda com as escórias” sendo assim impossível brilhar ou refletir a glória de Deus.
Veja o conselho de Paulo os Coríntios “Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo como um espelho, a glória de Deus”. 2 Co 3.18


2º- A escória: Provém do cilício, não derrete fácil, somente a 2500°c.

Para separar a escória da prata, esta deve ir ao forno, não há outra maneira de separá-lo.
A escória representa o pecado, a soberba da vida, mentira, inveja, ódio, murmuração e tudo o que não provém de Deus.

Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta. Hb 12.1


3º- O vaso: Somos nós agora “sem escórias”; De prata de ouro de barro de madeira. Que tipo de vaso eu sou? Como está o vaso; trincado, sujo sem brilho, cheio de escória? O apóstolo Paulo assegura que o fabricante do vaso tem domínio sobre ele. Rm 9.21.

Em Salmos 31.12; Davi pela opressão dos seus inimigos diz: “Sou como um vaso quebrado”. Porém passa apenas um verso e ele mesmo ressalta: “mas eu confiei em ti, Senhor, e disse; Tu és meu Deus”.A fragilidade humana é notável, porém todos podemos ser instrumentos de Deus.
Leia: 2 Co 12.9-10.

4º- O fundidor: Aquele que coloca os materiais no forno para posteriormente dar forma a eles.
Cristo perfeito sabe tudo de metalurgia é especialista em produção de peças, apenas é necessário deixá-lo trabalhar. Ele coloca o equilíbrio entre os elementos químicos do metal e se for preciso ele também ajuda a tirar toda a escória.

Só iremos vislumbrar tudo aquilo que Deus tem para nos quando permitirmos que sejam removidas as escórias e esse é um trabalho do Fundidor.

Por isso, “entrega o seu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará”. Sl 37.5

Deus te abençoe.