terça-feira, setembro 11, 2012

Como a Menina dos Olhos de Deus

O Salmo 17 é um lamento que Davi faz a Deus e neste lamento, Davi apresenta as provas de sua retidão e pede a Deus que o proteja dos seus inimigos Em sua criatividade poética, Davi apela para que Deus o proteja como “a menina dos seus olhos” A pupila do olho é símbolo do que é mais sensível e precioso na vida de uma pessoa; Por isso, Davi usa uma expressão proverbial e metafórica que fala de visão, de iluminação, de algo reflexível, e neste Salmo, Davi apela para a proteção e cuidado especial da parte de Deus Ao orar a Deus dessa forma precisamos considerar o pano de fundo da história que Davi estava vivenciando quando fez esse lamento.
O contexto histórico do momento que Davi estava vivendo nos mostra ingredientes de inveja, ciúme, porfia, ódio e rancor destilados contra a sua vida pelo Rei Saul; Saul estava dominado por sentimentos negativos de desolação e solidão, tanto da parte de Deus quanto da parte dos súditos do Reino de Israel O Rei achava que Davi era uma ameaça ao seu trono por isso o perseguia dia e noite para matá-lo; Davi, temente a Deus e não querendo tocar no Ungido do Senhor abre sua alma em desespero perante Deus e exprime sua ansiedade; A despeito de tudo, Davi tinha a certeza de que Deus estava vendo tudo àquilo por que passava; Aprenderemos neste Salmo de Davi como confrontar os inimigos de nossa alma que nos atacam para ferirem nossos sentimentos e para nos afastar de Deus. Aprenderemos com Davi neste Salmo como lidar com as mágoas, com as calúnias, com as mentiras e os dissabores que procuram afastar-nos do cuidado paterno de Deus.
Assim como “a menina dos olhos” é protegida pelas pálpebras, assim o Senhor nos protege, nos guarda e nos ensina a reagir contra as ameaças que podem ferir a nossa fé em Deus Neste Salmo, Davi expõe sua sensibilidade perante Deus e nos ensina como orar ao Pai Celestial quando se está carente e necessitado de ajuda e refúgio espiritual
• Em primeiro lugar, ele apresenta seu desejo de ser ouvido por Deus– vv..1-5
• Em segundo lugar, ele faz sua oração pedindo a proteção de Deus– vv. 6-12
• Em terceiro lugar, ele clama a Deus por libertação – vv. 13-17 Não há nada mais confortante do que a certeza de que orando seremos ouvidos pelo Senhor; Por isso, Davi escancara seu coração perante o Senhor e apresenta seu profundo e desesperado desejo de ser ouvido pelo Senhor I – SEU DESEJO DE SER OUVIDO – VV.
1-5 Quando Davi escreveu este Salmo encontrava-se sob o ataque dos homens de Saul para matá-lo e tirá-lo do caminho do Trono de Israel Por causa do ciúme neurótico do rei Saul, Davi foi forçado a viver fugindo, para evitar o confronto pessoal Saul estava cheio de pânico e de ódio contra Davi por causa da popularidade de Davi no meio do povo; Embora Davi se mantivesse fiel ao Rei e evitasse pecar contra a autoridade do Rei, a inveja de Saul havia chegado a um grau de intensidade que Davi não teve alternativas, senão fugir para evitar o confronto Foi numa daquelas noites de insônia e angustia de alma que Davi fez esse Salmo e orou com todas as suas forças para que Deus o protegesse daquela perseguição Davi tinha, até então, consciência de sua inocência perante o rei e perante Deus; Sentia-se magoado pelas calúnias de que quisesse matar o rei e quisesse tomar-lhe o Trono, Por isso, Davi apela a Deus e exonera-se daquela acusação Ele pediu a intervenção do Senhor em seu favor porque sabia que não poderia jamais ocultar qualquer pecado que cometesse em sua vida perante Deus Quando Davi usa a palavra clamor, a exclamação denota “um grito agudo” do coração de quem tinha a certeza de que não havia pecado Davi havia examinado a si mesmo aos olhos penetrantes do Senhor e pediu por misericórdia; pediu por uma intervenção capaz de dar-lhe segurança Não havia no coração de Davi qualquer sentimento de impecabilidade, porque ele sabia, nenhuma justiça sua era perfeita;
Mas Davi entendia que o “senso de justiça de Deus” é perfeito e que Ele Age com eqüidade; Jamais a justiça divina se equivale a justiça humana, e nem sempre a retribuição de Deus satisfaz o nosso senso de justiça, porque ele não faz o que queremos, mas coloca todas as coisas nos seus devidos lugares. Quantos de nós somos caluniados, maltratados, julgados mal indevidamente, e nos tornamos vitimas da maldade de pessoas inescrupulosas. Quantos de nós somos magoados e convivemos, às vezes, com cicatrizes profundas, tornando-nos prisioneiros de nossos sentimentos feridos
Mas Davi nos ensina a nos libertar desses sentimentos e a desfazermos as cicatrizes nos colocando sob o cuidado protetor de Deus; Existem muitas pessoas aqui na igreja em situação mal resolvida, que reagem de modo exagerado por causa de recordações não resolvidas II – SUA ORAÇAO PEDINDO PROTEÇÃO – VV.6- 12 Nesta parte da oração, Davi reconhece a soberania de Deus e sabe que Deus é Deus de maravilhas; Davi sabe que Deus é capaz de fazer coisas impossíveis aos homens; Davi sabe que os sentimentos de Deus não são vulneráveis como os sentimentos dos homens; É aqui nesta parte de sua oração que Davi apela para algo muito mais profundo que o simples pedido de proteção – Davi descobre um modo de ajuda divina apelando para uma figura antropomórfica, ou seja, algo típico dos homens que ele refere-se a Deus
Quando ilustra com a figura da “menina dos olhos de Deus”, Davi estava, na verdade, pedindo a Deus que sua vida fosse guardada do mesmo modo como “a pupila dos olhos” é protegida pelas pálpebras É interessante sabermos que a “menina dos olhos” refere-se a um “orifício que fica no centro da íris do olho, que, ao se contrair ou dilatar, regula a quantidade de luz que penetra no olho” Quando Davi utiliza essa figura sabia muito bem que, se ferida ou atingida “a pupila do olho” a cegueira seria inevitável Davi estava cercado por inimigos que queriam a sua destruição por causa do Reino de Israel; Esses inimigos tinha “lábios enganosos” que mentiam a seu respeito; que caluniavam e oprimiam a sua vida com ameaças constantes; Davi descobriu que nenhum outro socorro seria mais eficaz que o socorro que vem do Senhor A reação natural do “piscar dos olhos” é uma forma de proteger os olhos de serem atingidos por coisas de fora Quando Davi apela para esse tipo de proteção de Deus, ele sabia que “o tocar nos servos de Deus é como tocar a menina do olho de Deus”, como está escrito em Zacarias 2.8: “aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho” Existe um fato acerca da pupila do olho que deve chamar a nossa atenção; A palavra pupila vem do latim e significa: menina, boneca e ela ( a pupila) reflete a imagem da pessoa que fica em frente Quando nos chegamos para Deus podemos ver o nosso reflexo nos olhos de Deus; Vemos a nossa imagem refletida na “menina dos olhos de Deus”, do jeito que somos e como estamos perante Ele, e isto nos dá confiança do cuidado que Ele tem para conosco Depois da importância da “proteção”, a segunda maior importância que “a menina dos olhos de Deus” nos dá é a “intimidade com quem é refletida nos seus olhos” “intimidade” com Deus no modo como nos vemos Nele; Perto do final da vida, Moisés conclamou ao povo de Israel que louvasse ao Senhor por seu cuidado constante e falou ao povo num cântico inspirado: Dt 32.9.10
Quando olhamos bem de perto nos olhos de alguém, vemos a nossa própria imagem; Se estamos bem perto da pessoa, vemos o nosso próprio reflexo; Se o nosso relacionamento com Deus é distante, a possibilidade de restauração também é distante – Se tivermos um relacionamento íntimo com Deus veremos o nosso reflexo nos olhos de Deus A Bíblia declara que os olhos de Deus são como “chama de fogo” que penetram todas as coisas; Quando nos chegamos para Ele, seus olhos revelam tudo o que somos; nada fica obscuro -Davi queria se sentir na intimidade da pupila dos olhos de Deus; Davi queria se ver refletido nos olhos de Deus para ter a segurança de que estaria protegido por Ele Se você está distante de Deus e sua vida está mergulhada na angústia, Saiba que Deus não perdeu você de vista; Ele espera que você se aproxime e se veja refletido nos seus olhos, como Alguém que cuida de você e deseja livrá-lo do sofrimento.
A Bíblia nos conta a historia do profeta Jonas no ventre do grande peixe, o qual não pode evitar os olhos de Deus na sua vida Jonas teve que confessar: “Do ventre do inferno, clamei ao Senhor, e Ele me ouviu” III – SEU CLAMOR POR LIBERTAÇAO – vv. 13-17 a Bíblia nos diz que Jesus Cristo quando se fez carne e que habitou entre nós, VEIO “libertar os oprimidos do diabo” – Quando Davi clama por Deus nos v..13 , dizendo: “Levanta-te, Senhor, defronta-os, arrasa-os “, ele estava desesperado porque via o inimigo como “um leão ávido por sua presa” ou como o que fica de emboscada” para agarrar sua presa – A Bíblia ilustra o Diabo anda em derredor de nós como um leão que procura nos tragar – 1 Pe 5.8 Para essa ameaça a Palavra de Deus nos aconselha, dizendo: “Sede sóbrios e vigilantes” Ora, “a menina dos olhos” é símbolo do que é mais sensível e precioso na vida de uma pessoa; Se os meios de proteção desse mundo e dessa vida são frágeis e não garantem segurança verdadeira, Em Deus, o nosso criador, não há o que temer! Nele e com Ele estaremos seguros! Assim como damos valor às pupilas e ao maravilhoso dom da visão, da mesma forma o Senhor cuida de cada um de nós Ao vermos o reflexo de nossa imagem nos olhos de Deus, nós vemos, de fato, não a imagem ruim, ferida e depressiva do pecado, mas vemos o reflexo do milagre que podemos vir a ser.
Por Pr Elienai Cabral

Nenhum comentário:

Postar um comentário