terça-feira, outubro 28, 2008

OS PECADOS DE CAIM, BALAÃO E CORÉ

TEXTO : JD 11 *O Caminho de Caim [11a]: Lemos em 1 Jo.3:12 “Caim era do malígno e assassinou seu irmão”. O caminho de Caim é o caminho do assassínio do próprio irmão, membro da mesma família. Os falsos profetas, falsos mestres, heréticos, jamais hesitarão em matar e destruir aqueles que convivem com eles na mesma localidade. *O Prêmio de Balaão [11:b]: O nome Balaão significa “Devorador” (hebraico). Em 2 Pd 2:15, lemos: “...Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça”. A palavra “injustiça”, do latim “injustitia”, significa “ação ou coisa injusta – iniquidade”. Iniqüidade vem do latim INIQUITATE e significa “falta de equidade, de retidão, de igualdade, culpa, pecado, transgressão...”. Rm. 1:18. 29. 2:8. Hb.1:9. O prêmio da injustiça certamente é o Inferno e, posteriormente, o Lago de Fogo e Enxofre. *O Erro de Balaão. Exemplo de apostasia: 2Cr 29:19; Lc 8:13; Mt 24:10-12; Gl 5:4. Abdicou da verdade: Rm 1:25; 2:8; Pv 12:17; 1Tm 6:5. Cedeu à tentação dos bens materiais: Jd 11; Nm 22:7,37. *A Doutrina de Balaão. Sabia que não se podia amaldiçoar o povo de Deus: Nm 22:12,32; 23:8; 24:9. Sabia que Israel era o povo de Deus: Nm 23:20,23; 24:10. Sabia usar a teologia para corromper: Nm 23:1,2; 25:1-3; 31:16; Ap 2:14. *A Contradição de Coré [11c]: Contradição, do latim contradictione, é: 1. Incoerência entre afirmação ou afirmações atuais e anteriores, entre palavras e ações; desacordo. 2. Contestação, impugnação; contradita. 3. Objeção, oposição. Coré procede do hebraico calvície. Terminologia hebraica pertinente à palavra Coré: (A) Qãrahat: calvície da parte detrás da cabeça. (B) Qãrah: ser calvo. (C) Qêrêah: calvo. (D) Qorhâ [Core]: calvície. Designações do Termo Coré *Estado de quem ou do que é calvo. *Acomia [queda dos cabelos; calvície]. *Que não tem cabelo na cabeça ou em parte dela. *Sem vegetação; árido, escalvado. Coré era hebreu de procedência levita (Tribo sacerdotal) e liderou ao lado de Datã e Abirão uma contestação acompanhada de revolta contra a unção ministerial de Moisés e Arão (Números 16). “MANCHAS” em vossas festas de amor cristão: Versículo 12. Manifestações de imundícies e atos pecaminosos manifestos em reuniões da Igreja do Senhor. “...NUVENS sem água” versículo 12. VAZIOS da Palavra de Deus. “...aborrecendo até a roupa manchada da [OU PELA] carne”. Versículo 23. O toque da túnica na carne corrúpta e contaminada pelo pecado, contaminava também as vestes, nos dias da Lei Mosaica. Metaforicamente [no que tange às vestes espirituais], qualquer vestígio dos falsos ensinadores, falsos mestres, enganadores espirituais, deve ser evitado com veemência com base na Palavra de Deus. Epílogo Dentre as muitas riquezas doutrinárias, avisos e advertências da Epístola de Judas, poderíamos, face às carências atuais das igrejas nas localidades, destacar o erro de Balaão ou o caminho de Caim; a fé que uma vez foi dada aos santos ou a doutrina dos falsos ensinadores; a oposição de Coré que levantou-se contra os ungidos do Senhor ou as blasfêmias procedentes dos falsos ensinadores. Entretanto, tomemos extremos cuidados para que nossas reuniões no templo caracterizem-se unicamente como verdadeiras festas santas para Deus e nunca banquetes carnais regados a erotismo, prazeres mundanos, danças sensuais, etc., como faziam os adoradores de Baal e Afrodite no Velho Testamento. Deus jamais deixar-se-á escarnecer por longo tempo pelos falsos adoradores tão comuns nesses momentos finais da igreja na terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário